Fechar
Metadados

%0 Conference Proceedings
%4 sid.inpe.br/mtc-m21b/2016/11.29.18.04
%2 sid.inpe.br/mtc-m21b/2016/11.29.18.04.38
%A Bastarz, Carlos Frederico,
%A Herdies, Dirceu Luis,
%A Sapucci, Luiz Fernando,
%@affiliation Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)
%@affiliation Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)
%@affiliation Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)
%@electronicmailaddress carlos.bastarz@inpe.br
%@electronicmailaddress dirceu.herdies@inpe.br
%@electronicmailaddress luiz.sapucci@inpe.br
%T Matriz de covariâncias do erros de previsão aplicada ao sistema global de assimilação de dados do CPTEC
%B Congresso Brasileiro de Meteorologia, 19 (CBMET)
%D 2016
%8 7-11 nov.
%C João Pessoa, PB
%X A matriz de covariâncias dos erros de previsão representa uma componente bastante importante de um sistema de assimilação de dados. De forma simplificada, pode-se mostrar matematicamente, por exemplo, que os incrementos de análise são diretamente proporcionais à matriz de covariâncias. Considerando-se este resultado, é correto afirmar que o desempenho de um sistema de assimilação de dados está diretamente relacionado às características da matriz de covariâncias, sejam elas representadas na forma de: comprimentos de escala horizontais e verticais, desvios-padrão e variâncias. No CPTEC, desde quando foi instalado o GSI (Gridpoint Statistical Interpolation), a matriz de covariâncias utilizada é proveniente do modelo de circulação geral da atmosfera GFS (Global Forecast System) do NCEP (National Centers for Environmental Predictions). Esta matriz reflete as características climatológicas das anomalias do modelo desse centro. Considerando-se a informação de que o sistema de assimilação utiliza as observações para corrigir as previsões do modelo, ponderando-se os erros das observações e previsões, então pode-se questionar o uso de uma matriz de covariâncias calculada com base nas previsões de um modelo diferente. Neste trabalho são apresentadas as características principais da matriz de covariâncias dos erros de previsão do CPTEC, e as diferenças entre os incrementos de análise produzidos por diferentes versões da matriz calculada. Aplicando-se a nova matriz em um experimento com o sistema global variacional tridimensional do CPTEC, obteve-se um desempenho geral melhor ao que se obtém com a matriz do modelo GFS. Os resultados podem ser verificados confrontando-se as previsões de 9 horas contra as próprias análises, calculando-se o viés e o erro quadrático médio. De forma geral, pode-se concluir também que houve um aumento do número de observações assimiladas, principalmente de observações de radiâncias. A nova matriz de covariâncias dos erros de previsão, calculada com as próprias previsões de 24 e 48 horas do modelo de circulação atmosférica do CPTEC representa, portanto, um importante avanço para a independência do centro e uma substancial contribuição para a melhoria do sistema de assimilação de dados global do CPTEC.
%@language pt
%) sid.inpe.br/mtc-m21b/2016/11.29.18.05
%3 bastarz_matriz.pdf


Fechar