Fechar
Metadados

%0 Thesis
%4 sid.inpe.br/mtc-m18@80/2008/08.18.14.02
%2 sid.inpe.br/mtc-m18@80/2008/08.18.14.02.44
%A Ximenes, Arimatéa de Carvalho,
%T Mapas auto-organizáveis para a identificação de ecorregiões do interflúvio Madeira-Purus: uma abordagem da biogeografia ecológica
%D 2008
%E Valeriano, Dalton de Morisson (presidente),
%E Monteiro, Antônio Miguel Vieira (orientador),
%E Kampel, Silvana Amaral (orientador),
%E Silva, José Demisio Simões da,
%E Venticinque, Eduardo Martins,
%8 2008-06-05
%J Self-organizing map for boundary ecoregions Madeira-Purus inter-rivers in amazon forest: an approach of ecological biogeography
%I Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)
%C São José dos Campos
%K ecorregiões, redes neurais, conservação, biodiversidade, regionalização, ecoregions, network neural, conservation, biodiversity, regionalization.
%X Para o mapeamento das ecorregiões variáveis abióticas e bióticas como clima, hidrologia, feições morfológicas da paisagem, vegetação e solo são utilizadas. Em 2001, o WWF mapeou as ecorregiões do mundo, identificadas utilizando a hierarquia dos tipos de habitat, para atingir as metas de conservação da biodiversidade. Porém, esta abordagem para o mapeamento das ecorregiões não possui metodologia padronizada na escala regional. Os limites foram traçados a partir do conhecimento de especialistas, identificando áreas consideradas homogêneas. O objetivo geral deste estudo é mapear as ecorregiões terrestres do interflúvio Madeira-Purus em escala regional a partir de métodos computacionais que possam auxiliar no gerenciamento dos recursos florestais e no planejamento sistemático de conservação. O presente trabalho parte da hipótese que as ecorregiões do interflúvio MadeiraPurus podem ser mapeadas em escala regional a partir de um modelo computacional. A área de estudo concentra pesquisas do grupo de Biodiversidade do interflúvio Madeira-Purus da Rede GEOMA. As ecorregiões do interflúvio Madeira-Purus foram identificadas em escala regional a partir de redes neurais do tipo Mapa Auto-Organizável desenhadas para trabalhar sobre um conjunto de variáveis climáticas e ambientais. Foram utilizadas 21 variáveis ambientais referentes ao clima, vegetação, solos, altitude, distância geográfica, densidade de drenagem, declividade e NDVI. O mapeamento obtido a partir de cinco variáveis referentes à altitude, declividade, densidade de drenagem, latitude e vegetação ofereceu a delimitação automática final. A análise discriminante identificou o grau de mistura entre as ecorregiões resultantes, indicando um grau de concordância referente ao índice Kappa de 0.87. O procedimento metodológico desenvolvido mostrou-se consistente e passível de ser aplicado em outras áreas. Para o interflúvio Madeira-Purus as variáveis de latitude, densidade de drenagem e altitude serviram como substitutas das variáveis climáticas e ofereceram maior precisão e resolução espacial. A partir de uma análise qualitativa foi possível inferir a influência e contribuição de cada variável no processo de regionalização em ordem de importância: densidade de drenagem, latitude, altitude, vegetação e declividade. Com um conjunto menor de variáveis ambientais utilizadas para delimitar as ecorregiões, o modelo proposto encontrou maior heterogeneidade no interflúvio em comparação com as ecorregiões do WWF. O interflúvio Madeira-Purus foi mapeado contendo 13 ecorregiões que representam sua diversidade de ambientes, fornecendo assim informação relevante para estratégias de conservação da Amazônia. ABSTRACT: Biotic and abiotic variables related to climate, hydrology, landforms, vegetation, and soil are usually employed to the ecoregion mapping. In 2001, the WWF mapped the ecoregions of the world using a method of habitat types hierarchy to accomplish the biodiversity conservation aimed. However, there is no standard protocol describing this WWF mapping methodology at regional scale. The ecoregion limits were defined based on specialist knowledge of homogeneous areas. The main objective of the present work is mapping the terrestrial ecoregions of the Madeira-Purus inter-rivers. This mapping considers its application for conservation planning, in regional scale, and it is based on computational methods. This work assumes the hypothesis that Madeira-Purus interrivers ecoregions, at regional scale, can be mapped using a computational modeling procedure. The study site was chosen because the Madeira-Purus inter-rivers is one of the Rede GEOMA researches focal areas. A methodological approach to map the ecoregions semi-automatically was proposed and the resulted model was discussed. The ecoregions for the Madeira-Purus inter-rivers were identified based on Self-Organized Map neural network that was configured to work over a set of 21 environmental and climatic variables, referred to climate, vegetation, soil, altitude, slope, drainage density, geographical distance, and NDVI. After the analysis of different models, the final ecoregion mapping resulted from a set of variable of altitude, slope, drainage density, latitude and vegetation. A discriminant analysis identified the mixture degree between the resulted ecoregions, with a degree of agreement of 0.87 from Kappa index. The methodological approach was consistent and can be reproduced over different areas. The variables of latitude, drainage density and altitude were proxies of climatic variables, offering better spatial resolution and definition of ecoregion limits. The qualitative analyses indicated the contribution and the importance of each variable in the regionalization process as: drainage density, latitude, altitude, vegetation and slope. Comparing to WWF ecoregion mapping, the final model presented higher heterogeneity in the Madeira-Purus inter-rivers, using lower number of environmental variables. The environmental diversity in the Madeira-Purus was finally mapped with 13 ecoregions, which can contribute as relevant information for the strategies for the Amazon region conservation.
%P 155
%@language pt
%9 Dissertação (Mestrado em Sensoriamento Remoto)
%3 paginadeacesso.html


Fechar