Close
Metadata

%0 Thesis
%4 sid.inpe.br/jeferson/2004/10.05.11.46
%2 sid.inpe.br/jeferson/2004/10.05.11.46.53
%A Trevisan, Rute Helena,
%T Estudos multiespectrais das explosões solares associadas com a fase impulsiva do flare
%D 1991
%E Kane, Rajaram Purushottam (presidente),
%E Sawant, Hanumant Shankar (orientador),
%E Landaberry, Sayd José Codina,
%E Lépine, Jacques Raymond Daniel,
%E Gonzalez-Alarcon, Walter Demétrio,
%E Scalise Júnior, Eugênio,
%8 1991-03-26
%J Multiespectral studies of the solar bursts associated with impulsive phase.
%I Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)
%C São José dos Campos
%K explosões solares, ondas de rádio, estudos multiespectrais, solar explosions, radio waves, multispectral studies.
%X Existem poucos estudos de observações multiespectrais com alta sensibilidade e resolução em tempo/frequência/energia. A importância de tais investigações e que estes estudos nos permitem observar o desenvolvimento do fenômeno associado simultaneamente em varias alturas na atmosfera solar, e do qual podemos obter informações sobre a região de aceleração, propagação de partículas aceleradas na direção da fotosfera, e coroa e emissão causada por essas partículas. Essas informações podem nos explicar melhor os processos de liberação de energia no flare solar. Nos investigamos aqui, explosões solares em H- , raios-X, microondas, ondas decimétricas e métricas, na fase impulsiva do flare. Os estudos simultâneos das explosões solares de ondas milimétricas e métricas e suas estruturas-finas, tem sugerido que as partículas são aceleradas para energias de até 200 KeV; estruturas-finas são geradas por partículas aceleradas em processos secundários. Além disso aquecimento e aceleração ocorrem simultaneamente no flare solar. As observações foram realizadas com a antena de 13,7 m de diâmetro de Atibaia, pela primeira vez operando na faixa de decimétricas (1663 MHz) com alta sensibilidade e resolução temporal. Nós observamos pela primeira vez: i) blips acima de 1000 MHz, ii) explosões homologas-like em microondas e spikes de baixa intensidade de fluxo. As investigações mostraram que blips são variantes das explosões tipo III e são geradas pela interação do feixe de elétros com plasma, no segundo harmônico. Spikes são gerados por ECM, e, assumindo-se a instabilidade MHD as dimensões de fonte são estimadas em 50 Km. Os flares homólogos-like de período longos de repetição (~ 40 min), são explicados pela oscilação de proeminência, como também os homólogos de períodos curtos de repetição (~ 10s). Investigações mais detalhadas dessas explosões apresentadas aqui, leva-nos finalmente a sugerir que a energia do flare solar e liberada em pequenos volumes e escalas de tempo 1.e. ocorre a fragmentação de energia quando o fluxo emergente entra em contato com o campo magnético existente. ABSTRACTS: There are a few studies of multispectral observations with high sensitivity and time/frequency/energy resolution. Importance of such investigations is that these studies allow to see time development of the associated phenomenon simultaneously at various heights in the solar atmosphere, from which one can gather information about the region of acceleration, propagation of accelerated particles towards and away from the photosphere and emission caused by these particles, which can throw light on the processes of liberation of energy in solar fiares. Here,we have investigated solar bursts occurring in H-a, hard X-rays, microwave, decimeter and meter wave in impulsive phase of the solar flare. Simultaneous studies of millimeter-wave and meter-wave bursts and its fine structure have suggested that particles are accelerated up to energies ~200 keV , and λ-meter-wave fine structure 1 generated by the particles accelerated in a secondary process. Moreover heating and acceleration occurs simultaneously in the solar flare. Using 13.7 m Atibaia antena decimetric, 1663 MHz, observations have been carried out for the first time with high sensitivity and high time resolution. We observed for the first time low flux level blips above 1000 MHz , spikes and microwave homologous like bursts. Investigations showed that blips are variants of type III bursts and are generated by beam plasma interaction at second harmonic. Spikes are assumed to be generated by E.C.M. and, assuming M. H. D. instability, estimated dimensions of radio sources are of the order of 50 km. Oscillations of prominences offer better explanation for long period , 40 minute, homologous bursts and can explain small periodicities of the order of 10 seconds. More detailed investigations of the bursts presented here, finally lead us to suggest that the flare energy is liberated in a small volume over small time scales i.e. there is fragmentation of energy when emerging magnetic flux comes in contact with the existing magnetic field.
%P 204
%@language pt
%9 Tese (Doutorado em Ciência Espacial)
%3 Rute Helena Trevisan 06_02_19.pdf


Close